O que muda nas câmaras arbitrais com a covid-19

De protocolos a audiências e julgamentos, processos de arbitragem passam a ser totalmente virtuais 


A pandemia do novo coronavírus obrigou o governo, as empresas e diversas organizações a encontrarem soluções para continuar operando apesar do distanciamento social. Nesse contexto, o ambiente virtual ganha cada vez mais espaço e relevância — e nas câmaras de arbitragem isso não é diferente.

 

Hoje, elas realizam a maior parte de seus procedimentos virtualmente. O processo já estava em andamento no Brasil, mas foi agilizado diante das necessidades impostas pela covid-19. As ferramentas digitais são usadas não só para atividades mais simples, mas também em audiências e julgamentos de disputas.


Em entrevista ao vivo para o Legislação & Mercados, portal de conteúdos jurídicos para a área empresarial da Capital Aberto, advogados comentam o processo de digitalização das câmaras arbitrais, quais os seus principais desafios e vantagens e se o prognóstico para um futuro pós-pandemia é de continuidade — ou não — da utilização de ferramentas virtuais nas câmaras.

04 de Junho

Às 18h00

Inscreva-se!

Preencha o formulário para registrar sua inscrição.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade e com os Termos de Uso.

Convidados

Guilherme Capuruço

Sócio do Freitas Ferraz Capuruço Braichi Riccio Advogados

José Romeu Amaral

Sócio do Amaral Lewandowski Advogados

Vitor Massoli

Sócio do Nankran & Mourão Sociedade de Advogados

LIVES CAPITAIS

Acompanhe ao vivo entrevistas com especialistas sobre temas que impactam as companhias e o mercado de capitais.


REALIZAÇÃO